Educação e Saúde, Política

São Paulo: Fechamento de farmácias do SUS por Doria vai prejudicar população mais pobre

Farmacêuticos criticam projeto de Doria para fechar farmácias em postos de saúde

Luis Nassif Online

Da Rede Brasil Atual

Farmacêuticos alertam que grandes redes comerciais, defendidas pelo prefeito para a distribuição, estão nos bairros mais centrais e não na periferia, que conta com pequenos estabelecimentos

O projeto do prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), de fechar as farmácias dos postos de saúde e passar a distribuir medicamentos do Sistema Único de Saúde (SUS) por meio da rede comercial deverá afetar sobretudo a população mais pobre. O alerta é do Sindicato dos Farmacêuticos no Estado de São Paulo (Sinfar-SP), que já enviou ofício, ainda sem resposta, pedindo reunião com o prefeito e com o secretário de Saúde, Wilson Pollara, para esclarecimentos sobre a mudança na logística de medicamentos.

“As grandes redes de farmácias têm filiais nos bairros mais centrais, melhor localizados. E não nos bairros mais distantes da periferia, onde está a população mais pobre. Ali estão as pequenas farmácias. Sem a entrega no posto de saúde, perto de sua casa, as pessoas teriam de se deslocar até outros bairros, tendo até de pegar ônibus”, afirma a secretária-geral da entidade, Renata Gonçalves.

Embora ainda pouco se saiba de oficial a respeito da privatização do serviço, a agenda de Doria e de Pollara de hoje (23) previa encontro à tarde com Antonio Carlos Pipponzi, vice-presidente do Instituto para Desenvolvimento do Varejo (IDV) e presidente do Conselho da Raia Drogasil, gigante do setor.

De acordo com Renata, os farmacêuticos vão se reunir na tarde desta terça-feira (24) para discutir os impactos da medida à população e à estrutura das farmácias do SUS montadas nos postos de saúde. “É claro que há problemas, que faltam remédios. É feita licitação, e muitas vezes o laboratório demora para entregar. Mas isso não significa que a falha esteja na farmácia pública”, afirma o farmacêutico Deodato Rodrigues Alves, integrante do Conselho Municipal de Saúde, onde o tema também está sendo debatido.

“Essas farmácias que poderão ser fechadas estão estruturadas e receberam investimentos na gestão passada. Atendem 700 mil receitas todo mês, o equivalente a quase 10 milhões ao ano. Como uma rede privada vai se organizar para isso? Como será o controle, a fiscalização? Creio que o gestor não tem ideia da dimensão desse trabalho”, diz o conselheiro. “Privatizar pode parecer a solução a princípio, mas não é porque o problema é de subfinanciamento da saúde.”

Comentários

 

Isso Dória vai fundo

Isso Dória vai fundo menino.

Bota para quebrar.

Quero ver coxinha pobre se ferrando, chorando lágrimas de sangue.

Tem uma foto do Doria que acho emblemática. Ele ao lado de uma nordestina sorridente, vestida à carater, lhe dando apoio politico.

Não tenho mais pena de pobre como eu. Quero mais que esse povo se dane, e morram por falta de remédio.

Só lamento pelos que não apoiaram o Dória e o golpe.

Mas infelizmente todos terão que sofrer. Que o castigo maior recaia sobre os coxinha pobres

 

imagem de Dudu Cartucho

Dudu Cartucho

Um mandato pra Erundina, dois

Um mandato pra Erundina, dois pra Maluf/Pita.

Um mandato pra Marta, dois pra Serra/Kassab.

Haddad um. Que o Dória fique para sempre, os paulistanos merecem.

Tirar o Haddad porque a Dilma foi um desastre, e os méritos do Haddad e o ótimo Governo Lula? Vai faltar remédio, que não falte capim para essa gente!

Quer apostar quanto que…

A maioria dos remédios do SUS vai desaparecer nas drogarias da vida? “Olha, minha senhora, o do SUS está em falta, mas temos aqui à venda o mesmo remédio…”

O janotinha é só mais um canalha golpista. Lamento pelos meus conterrâneos, mas paulistano é esquizofrênico. Vota nessas tranqueiras que fodem com os serviços e as contas públicas. Aí, quando a prefeitura está prestes a falir, põe o PT de volta, para consertar a cagada alheia. Aí, na gestão petista, tenta-se consertar o que foi estragado, melhorar o que foi piorado, criar o que não existia e reequilibrar as contas públicas.

Lamento por quem votou no Haddad. Agora, quem votou em Dória, merece receber em triplo tudo aquilo que de ruim já começou a acontecer na Desvairada.

Já dizia o meu avô: “Burro pasta!”

Já dizia o meu primo: “Pau no cu do burro!”


Podem me criticar

Corro o risco de ser criticado aqui, mas dane-se. Dane-se também o politicamente correto. Esses caras aí devem ser em 90% anti PT e eleitores do Doria. Meu lema agora é “Quem pariu Doria que o embale”. Portanto, farmacêuticos, embalem o Doria que o filho é de vocês. Idem Michel Temer.

imagem de Ivan de Union

Ivan de Union

So no Brasil mesmo!

O projeto do prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), de fechar as farmácias dos postos de saúde e passar a distribuir medicamentos do Sistema Único de Saúde (SUS) por meio da rede comercial deverá afetar sobretudo a população mais pobre“:

Eu NUNCA ouvi falar na minha vida de projeto DE PREFEITO a respeito de distribuição de MEDICAMENTOS!

A área técnica dele, evidentemente, eh lobby.

Leave a Reply

Theme by Anders Norén