Fonte da IstoÉ se contradiz ao acusar Lula, e entregador da “mala de dinheiro” desmente

O Jornal de todos Brasis

Além de contradições e fragilidades da acusação, a fonte Davincci Lourenço de Almeida veio do Ministério Público de São Paulo, com o promotor José Carlos Blat – o que pediu a prisão de Lula e brigou com Lava Jato do Paraná
a
Jornal GGN – “O personagem que estampa a capa desta edição de ISTOÉ chama-se Davincci Lourenço de Almeida. Entre 2011 e 2012, ele privou da intimidade da cúpula de uma das maiores empreiteiras do País, a Camargo Corrêa”, introduz a revista na apresentação de sua fonte do suposto “furo” que manchetou: “Levei mala de dinheiro para Lula”.
a
Foi descrito pela publicação como uma pessoa próxima da família do ex-presidente da construtora, Dalton Avancini. Mas a revista, que ganhou o contato pelo promotor José Carlos Blat, do Ministério Público de São Paulo, revelou apenas partes recortadas do suposto furo e evitou aprofundar quem é Davincci Lourenço de Almeida.
a
Ressalta-se, antes, que o promotor que passou os contatos da fonte à IstoÉ é o mesmo que comandou a primeira investigação contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no caso do triplex do Guarujá, e apresentou uma denúncia com pedido de prisão contra Lula, em março do ano passado, em uma peça sem sustentação e com graves erros, duramente criticada por juristas e, inclusive, pelos procuradores da Lava Jato do Paraná.
a
Desde que o caso foi remetido à Vara Federal de Curitiba, os promotores (José Carlos Blat, juntamente com Cássio Conserino e Fernando Henrique Araújo) iniciaram uma briga judicial e na imprensa sobre a quem competiam as investigações. Ainda, o colega de José Carlos Blat, Conserino é fonte timbrada da revista Veja, adiantando à publicação tudo o que considera furo.
a
Quando o caso foi remetido ao Paraná, não restou aos promotores outra opção que não o envio dos depoimentos já feitos sobre o triplex do Guarujá para a Vara Federal de Curitiba. Entre eles, estava o de Davincci Lourenço de Almeida.
a
A IstoÉ tampouco mantém precaução, ao informar que foi o mesmo Blat o intermediador deste “furo”, escrevendo que o promotor ouviu Davincci em quatro oportundades. “Blat encaminhou os depoimentos à força-tarefa da Operação Lava Jato, em Curitiba. À ISTOÉ, o promotor disse acreditar que a Camargo Corrêa possa ter usado Davincci como ‘laranja'”, diz a publicação.
a
Exposto o intermediário desse “vazamento”, é a vez de indicar a entrevista de Davincci Lourenço de Almeida, químico sem formação. Diz ser “sócio de um ex-acionista da Camargo Correa”, que inclusive já foi morto há cinco anos. Foi ouvido pelos promotores do MPSP para falar da Camargo Correa, e a corrupção envolvendo oficiais das Forças Armadas.
a
A constatação é dos vários vídeos que a própria fonte já publicou no Youtube. Em nenhum deles, fez a relação com o ex-presidente Lula. Mencionou “conspiração” e “quadrilha” das Forças Armadas que, a seu ver, ajudavam a Camargo Correa a lavar dinheiro.
a
A afirmação à revista de que ele levou uma mala de dinheiro para Lula veio apenas após três entrevistas concedidas. O vídeo final apresentado pela IstoÉ é uma mistura de trechos. Em um primeiro momento por telefone a repórteres e, em seguida, aparentemente presencialmente, quando a revista tentou tirar mais informações da menção ao ex-presidente.
a
Em determinado momento, a fonte diz que iria acusar “todo mundo”:
a
“O ex-presidente Lula participou. Recebia dinheiro dentro da Morro Vermelho. Eu vou pôr no c… de todo mundo também, entendeu? Mataram o Fernando (de Arruda Botelho, acionista da Camargo Corrêa), estou fazendo isso porque ninguém faz nada. Ninguém faz p… nenhuma. Colocaram esse brigadeiro… O brigadeiro Edgar foi expulso da Camargo Corrêa. Fernando Botelho expulsou ele, quando descobriu que ele estava com essa quadrilha na fazenda, desviando milhões junto com esses brigadeiros aí e até um general. Então por isso que ele expulsou essa cambada da fazenda e do resort. Entrava dinheiro de propina e quem pagava era Rosana Camargo de Arruda Botelho. Ela que dava o dinheiro, cara, tá?”, disse.
a
“Pegaram o Dalton Avancini, prenderam o cara e falaram que os acionistas não têm conhecimento do dinheiro das propinas. Tem conhecimento sim. O clube das empreiteiras… eles fazem a divisão do dinheiro. Os hangares que foram feitos para a Camargo Corrêa dentro do Bro (Broa Fry-in) e do resort que foram até os brigadeiros, coronéis e generais que inauguraram em Itirapina, São Carlos. Estão tudo envolvido”.
a
Entretanto, a revista ignora a tentativa de denúncia, também não comprovada, sobre a atuação das Forças Armadas neste caso. E questiona, insistentemente, o suposto envolvimento de Lula. De forma generalizada, respondeu: “O Fernando falou que era só para deixar lá a mala”. “Mas o Lula foi lá buscar o dinheiro?”, questiona o repórter. “Foi lá buscar, O Lula foi. Tem foto dele lá”. “Mas qual que é a história, você levou uma mala de dinheiro lá no Morro Vermelho?”, insistiu outro repórter.
a
“Eu que levei”, respondeu, continuando: “Entreguei na mão do Willinha, diretor da Morro Vermelho”. Terminando neste ponto o áudio, a revista insistiu, por mais uma vez em outra ocasião, como se pode verificar no áudio recortado: “Essa mala de dólar que você entregou para o William foi entregue para o Lula na sequência…”. “A ordem do Fernando era para entregar para o presidente”, disse a fonte, em afirmação diversa.
a
a
Na conclusão, foram três versões diferentes informadas por Davincci Lourenço de Almeida à IstoÉ: a primeira, de que Lula recebeu a mala de dinheiro dentro do Morro Vermelho Táxi Aéreo. A segunda, de que o acionista da Camargo Corrêa Fernando de Arruda Botelho pediu para deixar a mala no local e que acredita que Lula foi buscar. E a terceira, de que, na verdade, entregou a mala de dinheiro a William Steinmeyer, um funcionário da Morro Vermelho. Questionado por último se Lula pegou a mala na sequência, apenas conseguiu confirmar que “a ordem do Fernando era para entregar para o presidente”.
a
Além disso, o funcionário denunciado pela fonte negou ter recebido qualquer mala de dinheiro: “William Steinmeyer, da Morro Vermelho, confirma que conhece Davincci (“um cara excêntrico”), mas jura que não recebeu qualquer encomenda dele”, finaliza a reportagem.
a
Com isso, além da fragilidade do depoimento em si, sem provas e com contradições nas diversas entrevistas concedidas por Almeida à revista, há ainda a afirmação do suposto interlocutor desse repasse, que nega a versão da fonte.
a


Comentários

Desde hoje pela manhã comecei a juntar os pontos deste….

Desde hoje pela manhã comecei a juntar os pontos deste personagem o tal de Davincci Loureiço de Almeida que ele é um golpista, mas não no sentido do golpe político mas sim do golpe tipo estelionato.

Ele simplesmente vendo que nos “Intervencionistas” há uma percentagem notável de pessoas que acreditam em qualquqer teoria da conspiração ele montou um negócio de ftanquias de venda de um produto miraculoso de limpeza a seco de automóveis, um tal de UV30, que vende pacotes para quem quiser ser revendedor desta “maravilha da tecnologia” se olharem o facebook dele compreenderão com quem está se lidando ( https://www.facebook.com/pg/BRAZILMILITARYTRAINING/about/?ref=page_internal ), ao mesmo tempo se olharem a página da empresa que se dizia fabricante do fantástico UV30 ( http://www.uv30.com.br/ ) a coisa complica mais.

Para mim está claro, o sujeito aliou a sua insanidade, a oportunidade de negócios e de fraudes, para ver melhor este último ítem olhem os seguintes vídeos no YouTube

https://youtu.be/DsgcnFAJq-0

https://youtu.be/sPsOCoPsWiU

https://youtu.be/DZ5k6GT1M0w

Também tem mais outros vídeos que mostram a sua insanidade como o seguinte

https://youtu.be/BzZJHG5Tjf0

https://youtu.be/eEhNBlITtB0

O cara é louco de atar, completamente paranóico e deve ser tratado como tal, porém além de louco ele é vigarista.

O que mais me admira é como

O que mais me admira é como os petista ou o Lula mesmo não conseguem uma boa indenização por danos morais em cima dessa pseudo revista. Ela só faz isso porque sabe que não vai ser punida.

Ou o judiciário tem lado (o mais provável) ou os advogados dos petistas são muitos fracos. Não é possível passar mais de 13 anos divulgando aberraçoes e não ser punido.

Essa coisa que chamam de

Essa coisa que chamam de revista está falida, a credibilidade que já não tinha foi pro fundo do poço, mas eles não estão nem aí pra isso, o importante é arrancar o måximo de dinheiro público do Temer até o dia do calote final.

imagem de TheWhuEla

TheWhuEla

Seres da floresta

Os caras acreditam em fadas, gnomos, elfos, duendes e duvidam do PowerPoint do daVinci! Ô povo incrédulo! Foi o Lula e tá acabado. Aqui tem ministério público, não tem achômetro, tem convicção.

imagem de TheWhuEla

TheWhuEla

PowerPoint de da Vinci

Do além, da Vinci psicogrfa para a QuantoÉ dizendo que o quadro da Monalisa, que esta no Louvre, é uma falsificação grosseira feita por Lula. A verdadeira obra está junto com o acervo presidencial como demonstrou o PowerPoint do Magnopirol. kkkkk onde chegou esse lixo de revista semanal.

imagem de Schell

Schell

O blatt não é o mesmo da

O blatt não é o mesmo da escola base? Faz anos que este estropício que se diz promotor em sumpaulo, volta e meia, aparece com essas histórias de faz-de-conta. Como não existe corregedoria no mp paulista, fica por lá enchendo o saco e a paciência de quem tem. Já a istoé (quantoé), falida e mal paga, tenta desesperadamente vender alguns exemplares (meia dúzia) pra ver se salva o salário do escosteguy, outro baita picareta. Pobre Lula ter de passar por isso neste país de merrecas. São cretinos, desde sempre. Agora, se o governo federal e o estadual (sp) botam dinheiro numa merda dessas, que fazer, não? São merda da mesma cloaca.

imagem de WG

WG

Questão de fé

A grande mídia realmente acredita que os coxinhas não têm cérebro.