Centrais sindicais e movimentos sociais chamam população para manifestação contra as reformas trabalhista e previdenciária e apoio a PEC das eleições diretas já.

O BRASIL VAI PARAR

Acontecerão por todo o Brasil no próximo dia 30 de junho, sexta-feira, manifestações contra as reformas trabalhista e previdenciária propostas pelo governo Michel Temer. Para o secretário-geral da Força Sindical, João Carlos Gonçalves, o Juruna, o importante, “é que haja uma articulação geral de paralisação e que os sindicatos demonstrem sua contrariedade com as reformas”.

PONTE NOVA E REGIÃO

A Frente Brasil Popular de Ponte Nova também organiza a manifestação que ocorrerá em Ponte Nova e convida os trabalhadores de Ponte Nova e região para participarem. Os organizadores planejam um momento cultural durante a concentração, com apresentação de artistas locais. Serão também oferecidos aos participantes comida típica desta época do ano, como pipoca e canjica.

A partir desta terça-feira, dia 27, carro de som circulará pela cidade convidando a população para participar da manifestação, que ocorrerá a partir das 9 horas da manhã, com concentração na Praça de Palmeiras. O convite para a mobilização vai divulgar mensagens fortes, de efeito, visando conscientizar o trabalhador(a) sobre o significado das reformas.

“A ideia é despertar no trabalhador o interesse pela defesa de seus direitos. Preocupa o fato das reformas estarem acontecendo e as pessoas não darem atenção a este fato; Elas não percebem o quanto as reformas afetarão suas vidas e das gerações futuras. São direitos conquistados a duras penas que estão a poucos passos de serem tirados. E a única maneira de preservar estes direitos, é através de pressão nas ruas, nas redes sociais e mobilizando contra elas”, diz liderança da Frente Brasil Popular.

Veja as mensagens que serão divulgadas pelo carro de som em Ponte Nova:

  • Trabalhador, o governo Temer quer tirar os seus direitos. Diga não às reformas. Diga não a este governo golpista. Ele não foi eleito para tirar direitos do trabalhador. Venha manifestar sua insatisfação na próxima sexta-feira, à partir das 9 horas, na Praça de Palmeiras.
  • A carteira de trabalho, décimo terceiro, férias, repouso remunerado e outras conquistas trabalhistas, foram resultado de muitas lutas. Se você não quer perder estes direitos, venha para a luta na próxima sexta-feira, dia 30, a partir das 9 horas, na Praça de Palmeiras.
  • O que o governo Temer está propondo não são reformas das Leis. É a destruição de todos os direitos dos trabalhadores. Vamos parar o Brasil nesta sexta-feira. Participe da manifestação na Praça de Palmeiras, a partir das 9 horas.
  • Trabalhador, você está preocupado com o futuro dos seus direitos, e os direitos dos seus filhos e netos? O governo Temer quer retirá-los. Vai cruzar os braços e deixar acontecer? Venha para a Praça de Palmeiras mostrar sua indignação, nesta sexta-feira, a partir da 9 horas.
  • Os movimentos sindicais e sociais de Ponte Nova e região convidam todos e todas para manifestar contra a retirada dos direitos propostos pelo governo Temer. Diga não as reformas. Diretas Já. Nenhum direito a menos. Nesta sexta-feira, a partir das 9 horas, na Praça de Palmeiras.

Ouça o áudio:

 

Veja a nota divulgada pelas centrais sindicais e movimentos sociais.

 

Nota das centrais sindicais

a
Dia 30 de junho – Vamos parar o Brasil contra a reforma trabalhista, em defesa dos direitos e da aposentadoria
a
As Centrais Sindicais têm acompanhado cotidianamente os desdobramentos da crise econômica, política e social, bem como a mais ampla e profunda tentativa de retirada dos direitos dos trabalhadores, através da tramitação das Reformas Trabalhista e da Previdência no Congresso Nacional.
a
A ação unitária das Centrais Sindicais tem resultado em uma grande mobilização em todos os cantos do país, como vimos nos dias 08 de março, 15 de março, na Greve Geral de 28 de abril e no Ocupa Brasília em 24 de maio. Como resultado do amplo debate com a sociedade e das mobilizações, conseguimos frear a tramitação da Reforma da Previdência e tivemos uma primeira vitória na Reforma trabalhista, com a reprovação na CAS (Comissão de Assuntos Econômicos do Senado).
a
Mas ainda não enterramos essas duas reformas, e por esse motivo, continuamos em luta. Nesse contexto, as Centrais Sindicais reunidas no dia de hoje conclamam todas as entidades de trabalhadores a construir o dia 30 de junho de 2017 e o seguinte calendário de luta:
a
• 27 de junho: audiência dos Presidentes das Centrais Sindicais no Senado
• 27 a 29 de junho: atividades nos aeroportos, nas bases dos senadores e no Senado
• 30 de junho: Vamos parar o Brasil contra a reforma trabalhista, em defesa dos direitos e da aposentadoria
• No dia da Votação da Reforma Trabalhista no Senado: mobilização em Brasília.
a
Estamos certos de que a unidade de ação é crucial na luta sindical sobretudo em momentos conturbados como o que atravessamos.
a
CGTB – Central Geral dos Trabalhadores do Brasil
CSB – Central dos Sindicatos Brasileiros
CSP Conlutas – Central Sindical e Popular
CTB – Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil
CUT – Central Única dos Trabalhares
Força Sindical
Intersindical – Central da Classe Trabalhadora
NCST – Nova Central Sindical de Trabalhadores
UGT – União Geral dos Trabalhadores