Um país que perdeu o medo do ridículo, por Luís Nassif

 

Em São Paulo, o procurador Carlos Fernando dos Santos Lima discorre sobre história do Brasil. Fala dos degredados que incutiram nos brasileiros a malandragem atávica, poupando apenas os procuradores.

Em algum lugar do Brasil, o Ministro Luís Roberto Barroso cita Faoro e Buarque e o grande pensador Flávio Rocha, dono das Lojas Riachuelo, para discorrer sobre reforma trabalhista.

No Twitter, o procurador Hélio Telho rebate o economista Paulo Rabello de Castro e diz que ele (Telho) precisa ensinar capitalismo de verdade a esses capitalistas de compadrio.​

Seu colega goiano, Ailton Benedito, da Procuradoria dos Direitos do Cidadão, afirma, no Twitter, que os nazistas eram socialistas, porque seu partido se chamava Nacional Socialismo e em que breve os socialistas-nazistas brasileiros matarão os cidadãos nacionais.

Não bastassem os atentados ao estado de direito, a invasão da política, esses gênios do data vênia resolvem agora enveredar por todos os campos do conhecimento, com mesma desenvoltura de um Romário, de Neimar falando platitudes. Tornaram-se celebridades e se sentiram no direito de falar bobagens e não serem cobrados, como fazem as celebridades, que são inimputáveis.

Onde se vai parar esse exibicionismo maluco? Daqui a pouco estarão discorrendo sobre a Teoria da Relatividade, como Ayres Britto. Quando a imprensa terá coragem de dizer para esses gênios que o espaço dado a eles é apenas utilitarista, porque ajudam no seu jogo político e que sua militância intelectual é ridícula e expõe o próprio poder ao qual pertencem?

Esse mundo de faz-de-conta da mídia criou egos tão monumentais, que, além de discorrer sobre os degredados portugueses, Carlos Fernando se viu com o poder de puxar a orelha da futura Procuradora Geral da República! E tudo isso do alto da autoridade conferida por uma cobertura displicente, que não consegue diferenciar o canto da cotovia do zurrar de um jumento.

Dia desses, um desses procuradores estava indignado porque a Polícia Federal tomou medidas internas sem pedir sua opinião.

Ontem anunciou-se que o bravo Ministério Público Federal está proporcionando cursos de Twitter para o procurador que quiser se aventurar. Para quê? Para que exercitem uma militância nociva, politizando as discussões, agindo como partido político com militantes de egos exacerbados?

Para prestar apenas contas de seus atos, não será, porque senão não se permitiria a Dallagnol e outros militantes o uso do Twitter para ataques ao Congresso, por pior que seja, aos advogados e aos críticos da Lava Jato.

É um pesadelo sem fim. Quando se envereda pelo caminho do ridículo, com a sem-cerimônia dos néscios, é porque se chegou ao fim da linha.

 

Comentários

imagem de Alexandre Souza

Alexandre Souza

Humanidades e status “juridiquês”

A formação em Ciências Humanas da grande maioria das pessoas é pífia, quando existe. Pois apenas não tendo noções básicas de história, geografia humana, sociologia, relações internacionais,  para não ter o mínimo de senso crítico para saber que há intelectuais capacitados e pesquisadores experientes para tratar de temas a respeito dos quais esses “doutores” (em quê mesmo?) se propõem a “refletir” e “ensinar”.

Ridiculamente, repetem o senso comum mais banal, historietas que se ouvia no ensino fundamental (ruim), os memes mais toscos vindo da direita mais tosca…e mal se dão conta do ridículo!

E aí vem o outro problema: o status demasiado inflado que as carreiras jurídicas gozam, não como uma especialidade aplicada, mas como um salvo conduto legal-intelectual-moral para falar e reproduzir a respeito de tudo. Para esse pessoal não é a sociedade que produz o campo jurídico, mas o campo jurídico que antecede a sociedade e sua história, suas lógicas de funcionamento e as respectivas análises. Após ler Lenio Streck, sabemos que sequer sobre sua matéria prima esses doutores conseguem saber em profundidade.

Seria uma serviço de utilidade pública (e uma chamada ao bom senso) enviar teses, artigos, livros e documentários para esses senhores.

imagem de maria rodrigues

maria rodrigues

Esse procurador, Bigodinho,

Esse procurador, Bigodinho, jamais teria declarado que fora convidado por Loures, amigo de Temer, para uma reunião do agora presidente ilegítimo, se não visse seus interesses e de seus comparsas contrariados. Tivesse aberto a boca ao tempo do impeachment, até que poderia se dar crédito à sua declaração. Agora, está muito mais se colocando como um dos arrependidos por ter dado asas ao governo.

Ficaríamos muito mais tranquilos se um dia, ao menos, ele e companheiros, viessem a público dizer porque não dão a mínima para as delações contra Aécio Neves. Enquanto agirem assim, com essa seletividade, não nos resta outra coisa, senão ver a Lava Jato como um palco para o exibicionismo, e a selvageria contra Lula e o PT.

imagem de Romanelli

Romanelli

97 % dos procuradores de SP

97 % dos procuradores de SP ganham acima do TETO  ..70% deles, de juízes, desembargadores e defensores, no BRASIL, também

..eles que querem nos fazer valer a lei (muitas vêzes saída da imaginação deles  ..vide S.MORO)

..eles que são julgados por seus pares  ..e quando condenados, sentenciam-se a aposentadoria precoce com proventos plenos

ELES, onde o maior de suas Instancias, de vida NABABESCA, inimputáveis, ainda contam com a vitalicidade em seus cargos, sentados em processos sem tempo pra vistas dadas a amigos, e tomando o sempre presente chá das cinco

Realmente ..o JUDICIÁRIO BRASILEIRO, o PIOR dos 3 poderes  ..o MAIS caro e MENOS eficiente  ..precisa ser enquadrado nas possibilidades econômico-sócio-culturais e financeiras da NAÇÃO brasileira

VEJA mais um exemplo que vem a se somar a seus penduricalhos permanentes (ajuda pra escola de filhos de 4.2 mil mensais, aquisição de livros, de equipamentos, aluguel, vestimenta etc)

http://www.tijolaco.com.br/blog/coitado-do-juiz-injusticado-por-de-meio-milhao-de-reais/

 

imagem de Eduardo Outro

Eduardo Outro

PÍLULAS : “degredados

PÍLULAS : “degredados incutiram a malandragem atávica”.  “grande pensador Flavio Rocha”.  “Helio Telho rebatendo Paulo Rabello de Castro”.  “nazistas socialistas”.  “Ayres Brito e a teoria da Relatividade”.

CONCLUSÃO: O problema não é a ignorância, é ignorar que não sabe; pior, é pensar que sabe.

E tenha santa paciência, caro Nassif, não seja injusto com Neimar e Romário, intelectuais de fina estampa em relação aos comparados !

 

Caro Nassif:

Não lhe conheço bem, mas a julgar por esta matéria aqui, a “Lava Jato e o dia da infâmia”, a “Carta Aberta” ao Supremo, estou deduzindo que estás no limiar (de tudo, suponho).
Ou então pressente algo mais grave por vir.

imagem de Romanelli

Romanelli

uai  ..não te avisaram não ?

uai  ..não te avisaram não ? ..já esta entre nós, há questão de 2 anos, o GOLPE da direita  ..mancomunado com o Judiciário e boa parte dos Muilitares que fazem vistas grossas às investidas do Tio Sam tb  ..como sempre

imagem de gaúcho

gaúcho

O espetáculo dos horrores

O espetáculo dos horrores começou pela omissão cúmplice do STF na farsa do impeachment mas antes no episódio do chamado mensalão teve um fato que transformou todo o direito brasileiro: a abolição da necessidade de prova para a condenação criação do ‘grande jurista’ e menino pobre joaquim barbosa.

A folclórica rosa weber seguiu a jurisprudência barbosiana e cravou em sua sentença “não tenho provas para a condenação mas a literatura me permite” (sic) decisão que fez o grande Nelson Hungria se revirar no caixão.

Por sua vez, seguindo a nova linha jurisprudencial, o TRF4 com sede em Porto Alegre, decidindo sobre a divulgação criminosa de conversas da presidente da república declarou “o combate à corrupção permite uma situação de excepcionalidade portanto não há crime” (sic)

O Brasil, hoje, é a maior republiqueta de bananas do ocidente, um país sem lei, sem judiciário, sem ministério público, sem imprensa em que uma quadrilha de gangsters tomou o poder na mão grande graças a atuação decidida desse consórcio golpista que se faz de indignado com o governo temer mas, em verdade, é seu maior cúmplice.

 

O procurador que diz que o

O procurador que diz que o partido Nazista era de esquerda por causa da palavra “Socialista” que compõe o seu nome, deve estar no mesmo nível do nosso ex-ministro do supremo (Ayres Britto), que disse que a Visanet era estatal porque tinha “Brasileira” no nome da empresa (Companhia Brasileira de Meios de Pagamento).

Definitivamente, os concursos

Definitivamente, os concursos para o Ministério Público e a magistratura precisam incluir provas de história. Assim não é possível, temos asnos de terno e gravata pontificando a respeito do que não entendem. E o pior é que as sentenças e os libelos acusatórios estão provavelmente sendo embasados nesse mar de ignorância, que envergonharia um gari ou uma vendedora de cosméticos.

imagem de Romanelli

Romanelli

e de ECONOMIA colega  ..pois

e de ECONOMIA colega  ..pois os ESTRAGOS feitos a empresas, empregos e a riqueza do PAÌS, em todas as esferas diretas e INDIRETAS (como CAF e CADE tb) são gigantescas  ..quando feitos, demoram décadas pra serem remediados

..e isso pra não dizer dos malditos indexadores e PERCENTUAIS nebulosos, usados em tudo quanto é sentença indenizatória quando a viúva (o Estado) precisa bancar o rombo (vide VARIG agora)

..qual seja, falta ensinar-lhes, além do DATA VENEA, a matemática financeira ..ensino que se bem aplicado levaria MUITO DIRETOR DO BANCO CENTRAL pra CADEIA  ..acusados de lesarem a pátria e por empobreceram GERAÇÔES inteiras de brasileiros

imagem de jeffbeck

jeffbeck

ESTÃO EM PLENA VIGÊNCIA DO FE

ESTÃO EM PLENA VIGÊNCIA DO FE BE A PA:

FESTIVAL  DE  BESTEIRAS QUE ASSOLA O PAÍS….

Mas o problema está mesmo na questão do regime estatutário. Onde qualquer concursado sabe que é quase impossível ser demitido e mais ainda: tem plena garantia de aposentadoria polpuda enquanto viver. Alguns até depois da morte tem essa malandragem assegurada.

ABAIXO O CONCURSO PÚBLICO E A GARANTIA ETERNA DE EMPREGO PARA A CASTA.

Prezado Nassif e camaradas do

Prezado Nassif e camaradas do Blog

Umberto Eco disse que a internet permitiu que qualquer imbecil falasse merda à vontade; José Saramago, ao replicar um comentário de um sujeito falando das “belezas que o twitter permite expressar em 140 caracteres”, disse  que no futuro iríamos nos comunicar por grunhidos.

Esse gordo (que é a prova viva de sua tese, pois descende de um grande pilantra paranaense do século XIX – essas coisas grudam na Administração Pública para parasitá-la e infestar a Sociedade) comprova o que estes pensadores diziam há 20 anos. O gordo precisa tomar cuidado porque se cair de 4, pode pôr um canga e cabresto e puxar uma carroça; esse jumento

imagem de Verdade Eterna

Verdade Eterna

Sugiro a esse tipo de gente,

Sugiro a esse tipo de gente, assistir o documentário do grande Michael Moore, intitulado em português O invasor americano.  Tem no youtube, porem devido aos direitos autorais, esta camuflado, com imagem e som distorcidos.  Pra quem tem Netflix, pode assistir com imagem e som de alta definição.  O documentário é uma aula de como se deve fazer politica e de como se deve tratar sua população. Moore joga no esgoto o  way of life americano da atualidade, e mostra como outros povos estão se beneficiando dessa doutrina na sua essência.

imagem de joel lima

joel lima

E olha que no post o Nassif

E olha que no post o Nassif nem tocou na loucura econômica que Meirelles e Ilan estão impondo ao país (que hoje oficialmente se mostrará fracassada com o aumento da meta de déficit).  O país é um paciente que está com um câncer no pulmão e precisa de transfusão de sangue. Mas os médicos, por ideologia, são contra a transfusão de sangue e então acham que a solução é remover o pulmão doente pra resolver de vez a doença. E detalhe = ainda por cima pensam que o pulmão doente é o esquerdo, mas só que é o direito. Enfim, o paciente vai morrer por falta de sangue ou por ficar sem o pulmão que funciona ou os dois.

Boçais

O problema é que a boçalidade não tem limites – o que é agravado nos que bem decoraram apostilas e acham que são gênios. Se deixarem eles à vontade para soltar seus zurros, com certeza irá piorar.

 

imagem de Matosalem Freitas Jr

Matosalem Freitas Jr

Entramos num ciclo que se

Entramos num ciclo que se auto-alimenta das suas próprias aberrações, cada vez alargando e aumentando sua velocidade de giro, engolindo tudo a sua volta.

Quem poderá quebra essa ciranda?

Ridículo também o que vem acontecendo no Congresso

Chargista Duke, no jornal O Tempo, MG:

Charge O Tempo 14/08/2017

 

imagem de Orestes Gomes

Orestes Gomes

O ego inflado da justiça.

Triste realidade brasileira, onde o ego se faz maior que a inteligência.

imagem de Nina Perkusich

Nina Perkusich

São imbecis , entretanto quem

São imbecis, entretanto quem permitiu a eles o direito a dizer o besteirol institucional, foram os nobres políticos brasileiros, TODOS, alguns com mais notoriedade no campo da Santa ignorância, tal como Dilma e Lula. Fim

imagem de F F P

F F P

Já está na hora de se aprofundar nos estudos da direita pátria

NASSIF, sugiro um trabalho jornalístico investigativo, para se entender certos conceitos direita/esquerda e o pensamento de fundo por trás de tais afirmações como a do promotor de Goiás.

Gaste algum tempo lendo o livro: O Caminho da Servidão de Friedrich Hayek. A paritr da conclusão dessa leitura aprofunde sua pesquisa e assista os vídeos do Olavo de Carvalho, leia seus milhares de textos. Use de sua influência jornalística e reconhecimento profissional e consiga uma entrevista com ele via Hangout e permita a interação com outros pesquisadores e debatedores qualificados.

Tentar entender esse fenômeno de extrema  polarização na vida nacional, sem analisar o papel e influência de um de seus maiores ideólogos não trará clareza alguma. Será apenas um exercício de ”testando hipóteses”.

Há, sugiro também assistir todos os vídeos e entrevistas por trás de um projeto de nome: Brasil Paralelo, já com lançamento dos vídeos para sua segunda edição em andamento.

A direita se organizou, ganhou massa crítica e está disposta a disputar os espaços no que eles definem como: ”egemonia cultural da esquerda”. Farão isso em todos os locais possíveis.

Não fique preso em nenhum estereótipo ou filtro da realidade imposto por crenças ideológicas, vá fundo na pesquisa dessa turma e entenderá as razões por trás de tais manifestações. Não julgue os personagens apontados no texto acima como figuras meramente caricaturais, alguns são mesmo, mas apenas como mero reflexo de algo maior, mais fluido e organizado.

Umberto Eco resumiu assim:

“As mídias sociais deram o direito à fala a legiões de imbecis que, anteriormente, falavam só no bar, depois de uma taça de vinho, sem causar dano à coletividade. Diziam imediatamente a eles para calar a boca, enquanto agora eles têm o mesmo direito à fala que um ganhador do Prêmio Nobel. O drama da internet é que ela promoveu o idiota da aldeia a portador da verdade”.

Umberto Eco, na Universidade de Turim em 2015.

Mas a internet não provomoveu

Mas a internet não promoveu os idiotas de aldeia a procuradores públicos federais. Tem algum outro nó em alguma outra parte da linha…

Baiacus

Com a Farsa-Jato, promotores passaram a acreditar na miragem que a arrogância e a impunidade lhes têm proporcionado.

FEBEAPÁ

É o Festival de Besteiras que Assola o País.

Se Stanislaw Ponte Preta estivesse vivo, com a verve que lhe era peculiar, nenhum ignorante, decoreba de material de concurso público, passaria imune ao escracho do famoso colunista de “Última Hora”.

Barroso investiu na defesa de Cesare Battisti e assim conseguiu credenciar-se junto a setores progressistas que apoiaram sua indicação ao STF.

Ao fim e ao cabo tornou-se um dos Inimigos Públicos Nº 1 do trabalhador brasileiro. Nomear um elemento desses para o STF para depois o sujeito dedicar-se a fazer lobby para o capitalismo selvagem. É muita incompetência da esquerda.

Paulo Rabello de Castro é quem deveria ensinar economia a esses patetas. Só fico imaginando a cena: um puxando o nariz do dois que dá um tabefe na orelha do três que dá um cascudo no cucuruto do um, enquanto Paulo Rabello tenta ensinar macroeconomia, microeconomia, economia internacional, etc aos palermas. Engraçado mas patético.

Não há solução à vista.

O abismo parece ser o nosso destino.