Temer tem a pior avaliação de governo desde FHC, aponta CNT

Enquanto isso, o ex-presidente Lula aparece com vitória larga em todos os cenários à Presidência em 2018
a

Foto-montagem: Brasil247
a
Jornal GGN – O presidente Michel Temer obteve a pior aprovação pessoal e de governo já registrada pela pesquisa CNT/MDA, desde 1998: 75,6% dos entrevistados avaliam de forma negativa a gestão do peemedebista. Outros 84,5% desaprovam o desempenho pessoal de Temer, também alcançando o recorde negativo histórico da avaliação, que é feita desde 2001.
a
Realizada entre os dias 13 e 16 de setembro, a pesquisa CNT/MDA consultou 2.002 pessoas em 137 municípios de 25 unidades federativas, de todas as cinco regiões do Brasil, e tem 95% de nível de confiança, com uma margem de erro de 2,2 pontos percentuais.
A pesquisa perguntou como a população enxergava a atuação de Temer na Presidência da República: a pergunta é feita desde o segundo mandato de Fernando Henrique Cardoso. Até então, a ex-presidente Dilma Rousseff atingia o pior índice, de 70,9% em julho de 2015, valor superado agora por Temer, com 75,6%.
a
Outro questionamento era sobre o desempenho pessoal da figura do mandatário, pergunta inserida na pesquisa CNT desde 2001. E o pior índice histórico foi ainda maior: 84,5% o desaprovam.
a
Lula venceria eleições em todos cenários
a
Pensando nas eleições de 2018, a Confederação Nacional do Transporte levantou posições sobre os prováveis candidatos à Presidência no próximo ano. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem o melhor dos cenários: venceria as eleições presidenciais, com 20,2% das intenções de voto espontâneas; 32,4% se comparado à Aécio Neves (PSDB) e 32% se competindo a Presidência com Geraldo Alckmin (PSDB).
a
Na pergunta espontânea, um dos favoritos do PSDB, o prefeito João Dória, é lembrado apenas por 2,4% dos ouvintes. Também em baixa, o governador do estado, Geraldo Alckmin (PSDB), seria eleito espontaneamente por apenas 1,2% da população.
Em segundo turno, Lula leva a vitória novamente. O ex-presidente ganha em todos os cenários desenhados pela pesquisa CNT/MDA, sendo o mais competitivo deles o deputado Jair Bolsonaro: Lula venceria com 40,5% contra 28,5% de Bolsonaro em segundo turno. Não muito distante do parlamentar, Doria ficaria com 25,2% contra 41,6% de intenções de voto em Lula. Já Aécio teria o pior desempenho entre os possíveis tucanos: 14,8% contra uma maioria de 41,8% a favor de Lula.
a
E, ainda, se Lula é posto à prova com a mira incansável da Operação Lava Jato, o ex-presidente aparece com a menor rejeição entre todos os questionados: com 50,8% de rejeição, ainda que número significativo, é o menor em comparação aos tucanos João Dória (que leva 53,6% de reprovação), Geraldo Alckmin (com 56%), também em comparação a Jair Bolsonaro (que tem 52,2% de rejeição), a Marina Silva (também com 52,5%), e a Ciro Gomes (com 64,2%).
a
Nesse questionamento, o vencedor da rejeição é o senador tucano Aécio Neves, que entrou para a delação da JBS e se há três anos era o favorito presidenciável do partidos de direita, perdeu a credibilidade dentro da própria sigla: o mineiro leva 72,5% de rejeição dos entrevistados.