Após denúncias, Temer prometeu R$ 15 milhões em emendas para cada deputado

Foto: Lula Marques

Jornal GGN – Denunciado pela Procuradoria Geral da República por conta das revelações da JBS, Michel Temer prometeu liberar R$ 15 milhões para cada deputado como contrapartida ao apoio para enterrar as acusações de formação de quadrilha e obstrução de Justiça. Os valores dizem respeito às emendas parlamentares sem nenhum contingenciamento, ou seja, cada parlamentar poderá receber até R$ 5 milhões a mais do que o previsto no orçamento deste ano após o corte nas despesas.
a
No total, segundo reportagem de O Globo, a salvação de Temer custará R$ 12 bilhões, entre emendas parlamentares, cargos e benesses cujo impacto financeiro é incerto. É o caso do encaminhamento de projetos que beneficiam empresários, como a portaria do trabalho escravo.
a
Desde a primeira denúncia, por corrupção passiva, Temer já desembolsou R$ 5,1 bilhões, sendo R$ 4,28 bilhões apenas com os 513 deputados. “Na prática, já foi gasto quase tudo do que está previsto para o ano, que é de R$ 6,1 bilhões com o contingenciamento.”
a
Ocorre que em meio à segunda denúncia, Temer “resolveu ampliar a promessa e, segundo aliados, quer esquecer este contingenciamento e retomar o valor original destinado às emendas parlamentares, que é de R$ 9 bilhões no Orçamento de 2017. Se Temer fizer isso, cada um dos 513 deputados e 81 senadores vai ganhar uma cota de R$ 15 milhões e não os R$ 10,7 milhões fixados depois do corte.”
a
“Só de emendas parlamentares pagas desde o início de setembro foram R$ 881 milhões. Mas houve ainda uma frustração de receita com o novo Refis, estimada até o momento em R$ 2,4 bi; a desistência de privatizar Congonhas no ano que vem, cuja outorga era estimada em R$ 6 bi, e, por fim, a possibilidade de abdicar de R$ 2,8 bi com a anistia de parte das multas ambientais prevista no decreto editado na segunda-feira”, apontou o jornal.
a
“O Palácio do Planalto acelerou a liberação de recursos para o empenho de emendas parlamentares obrigatórias desde setembro, quando apareceu a segunda denúncia contra Temer. Foram R$ 881,3 milhões em menos de dois meses, sendo R$ 607,9 milhões apenas nos primeiros 21 dias de outubro e R$ 273,4 milhões em setembro. No final da semana passada, grandes volumes foram liberados para deputados e senadores: R$ 122,4 milhões na sexta-feira e ainda R$ 53,2 milhões no sábado, segundo os dados da Comissão Mista de Orçamento (CMO)”, explicou.
a
Leia a reportagem completa aqui.
==============================================