Caixa d’água solar reduz em 30% custo da luz em comunidades mineiras

Desde 2015, Programa Energia Inteligente instalou mais de 15 mil aquecedores solares em conjuntos habitacionais do Estado
Aquecedores instalados nos telhados das casas
Foto: Cemig/Divulgação
a
Jornal GGN – Uma caixa d’água, que já vem com coletores solares acoplados, foi a solução encontrada pela Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) para levar eficiência energética a 400 casas de famílias de baixa renda em comunidades da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). Um dispositivo de captação de raios solares é interligado ao chuveiro elétrico. O reservatório é de 160 litros e pode ser instalado em telhado, lajes ou postes no jardim ou quintal.
a
A redução é de 40 kWh/mês no consumo e de 30% no preço da conta de luz, mensalmente, se comparado ao que era gasto anteriormente pelas casas selecionadas para o projeto nas comunidades Cabana do Pai Tomás, Madre Gertrudes, na região Oeste; Vila Ipê, na região Nordeste, Eliana Silva; no Barreiro, e Nova Contagem, em Contagem.
a
“Como os telhados não suportavam o peso das instalações disponíveis no mercado, percebemos que era preciso algo mais leve e prático, de fácil instalação”, conta o coordenador do projeto, Cristiano Magalhães Costa, da Superintendência de Tecnologia e Gerência de Eficiência Energética (STE/EE) da Cemig.
a
A ideia foi estimular o mercado de aquecimento solar para essa demanda, em parceria com a empresa Rewatt, que desenvolveu os equipamentos de caixas d’água e chuveiros especiais, dentro do novo conceito. O investimento foi de R$ 900 mil para viabilizar a experiência piloto. A projeção é a de que possam ser comercializadas em breve ao preço e R$ 1,2 mil.
a
Desde 2015, o Programa Energia Inteligente instalou mais de 15 mil aquecedores solares em conjuntos habitacionais de Minas Gerais. Dos 864 municípios mineiros, 565 são beneficiados com os recursos destinados à essas iniciativas. Os projetos são voltados para clientes de baixa renda, entidades sem fins lucrativos, prefeituras, hospitais, iniciativa privada e para a área de educação, de acordo com as normas da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). E o melhor de tudo isso é que o banho pode ser um pouco mais demorado e bem menos caro.