Médico e empresários viram réus por indústria de ações judiciais contra o SUS

a
Jornal GGN – Um médico, um ex-dirigente do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas e dois empresários que forneciam equipamentos cirúrgicos viraram réus por conta de um esquema que acabou gerando uma indústria de ações judiciais contra o SUS. A denúncia envolve fraude em licitação, corrupção ativa e associação criminosa.
a
Segundo reportagem da Folha, o médico e os residentes sob sua orientação instruíam pacientes do SUS a entrar na Justiça contra o poder público em busca de ordens para execução de cirurgias de urgência. Depois disso, ele usava essas decisões para contratar, sem licitação, a empresa Dabasons, que fornecia os equipamentos. Em troca, o médico recebia propina por meio de sua clínica particular, afirma o Ministério Público. “À Justiça, ele afirmou tratar-se de pagamento por cirurgias em pacientes particulares”, afirmou o jornal.
a
A denúncia foi oferecida pela procuradora da República Karen Khan. A fraude, segundo a peça, teria acontecido na aquisição de eletrodos cerebrais e medulares entre 2009 e 2014. A operação Dopamina, do MPF com a Polícia Federal, desarticulou o esquema em 2016.
a
Foram denunciados o neurocirurgião Erich Fonoff, o ex-diretor do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas Waldomiro Pazin, o sócio e a representante comercial da empresa Dabasons, Victor Dabbah e Sandra Ferras, fornecedores dos equipamentos cirúrgicos.