SOBRE AS PESQUISAS DATAFOLHA (10/10) E IBOPE (15/10)- Por Paulo Roberto

Pesquisa mostra a situação do momento e combinada com uma série histórica, mostra tendências. Então vamos aos fatos, considerando a série de pesquisas Datafolha e Ibope, a partir de 03 de outubro, considerando as estimativas de 2º turno, apenas dos candidatos que passaram para o segundo turno.

Percebe-se, que tanto no Datafolha, quanto no Ibope de 06/10, véspera do 1º turno, Haddad estava com tendência de queda mais acentuada e Bolsonaro estável. Isto já refletia as mentiras e os fortes ataques via WhatsApp a Haddad, que foram intensificados nos últimos dias do segundo turno. O resultado das urnas ficou próximo do previsto para Bolsonaro (45% para 42%: diferença -3%) e demonstrou uma queda acentuada de Haddad (41% para 27%: diferença -14%), fruto dos ataques via WhatsApp.

Pesquisas1

OBS: os votos dos outros candidatos no dia 07/10 foram computados como N/S, por não serem motivo da análise.

Se considerarmos que 20,33% do eleitorado não foi votar, e que estes ausentes votariam em todos os candidatos na mesma proporção que as pesquisas indicavam, teríamos o seguinte resultado hipotético no Ibope do dia 06, para os 2 candidatos: Bolsonaro 35,85% (real 42%) e Haddad 32,66% (real 27%). Neste cenário, Bolsonaro teria crescido quase 7% do dia 06 para o dia 07 e Haddad caído quase 5% da véspera para o dia da eleição.

Pesquisas1a

OBS: os votos dos outros candidatos no dia 07/10 foram computados como N/S, por não serem motivo da análise.

A partir do dia 08/10, os votos que foram dados aos outros candidatos, foram direcionados aos candidatos que passaram para o 2º turno e no gráfico da pesquisa do Datafolha do dia 10, vê-se a subida de Bolsonaro, saindo de 42% (das urnas) para 49%, diferença de 7 pontos em 3 dias (2,3% por dia), sendo uma parte resultado da transferência de votos dos candidatos derrotados no 1º turno e outra parte confirmando sua tendência de alta detectado entre a véspera do segundo turno e o dia da eleição, resultado das mentiras espalhadas e intensificadas pelo WhatsApp de véspera. Haddad teve uma alta de 9 pontos. No entanto, não é possível saber qual foi a transferência de votos que recebeu de outros candidatos e quanto perdeu, considerando que estava com tendência de queda. Percebe-se aumento do número de indecisos, provavelmente eleitores assustados com os fakes news das redes sociais.

A partir do resultado das urnas e do Datafolha do dia 10/10, quando caiu a ficha do PT e militância, começou uma ação de combate as mentiras no WhatsApp, efetivada a partir do dia 12/10, com produção de material direcionado ao aplicativo. Como não houve pesquisas entre os dias 10 e 15/10, neste vácuo, acredito que Bolsonaro tenha continuado sua tendência de alta e Haddad de queda até os dias 12 e 13/10, quando começou a reação do PT e militância. Nesta hipótese, mantida a tendência, ele teria alcançado 56% no dia 13/10 e Haddad algo em torno de 31%. Tal hipótese é provável, uma vez que não houve nenhum fato que pudesse interromper esta tendência que a votação do dia 07/10 e pesquisa Datafolha do dia 10/10 apontava, até o dia 12/10.

Pesquisas2.jpg

Neste vácuo de pesquisas, entre 10 e 15/10, observado a tendência das pesquisas anteriores, o resultado da movimentação do PT, militância, movimentos sociais, padres, CNBB, entidades diversas e personalidades nas redes sociais e principalmente no WhatsApp, junto com a violência crescente por todo lado provocada por eleitores de Bolsonaro, provocou regressão dos votos de Bolsonaro e novo crescimento de Haddad, que pode ser sentido nas ruas e redes sociais a partir do dia 12/10 e neste caso, seguindo a lógica, já foi refletido na pesquisa do Ibope do dia 15/10.

Pesquisas2a.jpg

Então, a pesquisa Ibope, ao mostrar Bolsonaro com 52% (Datafolha era 49%) e Haddad 37% (Datafolha era 36%), não está refletindo estabilidade ou oscilação pequena (mais favorável a Bolsonaro +3%) entre uma pesquisa e outra. Na verdade, partindo da hipótese que as tendências apontavam no dia da eleição e no Datafolha de 10/10, ela está é apontando nova tendência, desta vez de Bolsonaro em queda (4 pontos em 2 dias) e Haddad em crescimento (6 pontos em 2 dias). Observa-se o crescimento dos votos brancos e nulos nesta pesquisa Ibope, refletindo a insegurança / medo do eleitorado em decidir por um candidato.

Confirmado esta tendência, a próxima pesquisa já deve refletir empate técnico das candidaturas ou Haddad já assumindo a liderança, conforme se vê no gráfico abaixo, com a hipótese de uma eventual pesquisa prevista para o dia 18/10, o que representaria em votos válidos, Bolsonaro 51,65% e Haddad 48,35%.

Ainda vale ressaltar, que em votos válidos, a pesquisa Ibope do dia 15/10 registrou Bolsonaro 59% e Haddad 41% das intenções de voto. Alguns analistas falam da diferença de 18 pontos entre um e outro, mas para efeitos de virada, na verdade deve ser considerado 9%, uma vez que em votos válidos, um ponto a menos para um, significa um ponto a mais para outro. Assim, se Haddad sobe para 45%, automaticamente Bolsonaro cai para 55%, pois a soma da votação dos 2 tem que dar 100%.

Pesquisas3

================================

Estava concluindo esta análise, quando vi o post abaixo, onde se relata que tracking interno do PT já detectou o crescimento de Haddad, com números bem próximo da tendência que apontei. Vejam o relato (com o link abaixo):

ATENÇÃO:

O tracking interno do PT indica crescimento do Haddad, faltam somente 6 pontos percentuais para gente chegar a 50%. Ampliamos nossa presença nas redes e isso tem feito diferença. É possível virar o jogo. Não vamos jogar a toalha. Por isso, é fundamental que todos e todas inscrevam-se no Ativistas com Haddad e façam as tarefas ali colocadas pra gente derrotar o fascismo. Vamos em frente. Derrotados são os que desistem da luta. Venceremos! #HADDADSIM

https://www.ativistascomhaddad.com/